cultura

A APR denuncia a política prepotente de controlo e de aniquilação das imagens em Portugal

A APR – Associação Portuguesa de Realizadores – denuncia veementemente a política prepotente de controlo e de aniquilação das imagens em Portugal. A produção e a fruição das nossas próprias imagens é um direito de expressão e de plena cidadania democrática. Nas sociedades modernas a captação, a propriedade, a manipulação e a divulgação das imagens está intrinsecamente ligada ao exercício pleno da cidadania e à soberania. Através da sua produção, utilização e controlo pode-se assegurar a manutenção do poder democrático ou afectar a transparência e a representatividade do poder político perante a sociedade.

Cultura cilindrada

Transcrevemos aqui um artigo de opinião de Tiago Ivo Cruz sobre a acção aniquiladora do poder político no presente e no futuro da vida cultural portuguesa.

Está em causa, mais uma vez, o estafado argumento da crise da dívida como desculpa para aniquilar uma riqueza colectiva que, depois de destruída, jamais será recuperável – o que justifica a apresentação deste artigo sobre cultura (e esperemos que outros futuramente) neste sítio dedicado à dívida pública.