25/02/2013

Ataques neonazis na Grécia - Comunicado do CADTM internacional

autores: 

«Ainda é fecundo o ventre que pariu o monstro imundo!»

Face às ameaças racistas directas do partido nazi Aurora Dourada, feitas a um dos membros fundadores do CADTM Grécia, Moisis Litsis*, a rede internacional do CADTM lembra a gravidade que representa o aumento do fascismo, consequência directa da degradação social imposta pelos credores em nome da alegada prioridade em torno do pagamento da dívida e em detrimento do respeito pelo direitos humanos fundamentais.

A revista neofascista «Stohos» publicou uma «nota biográfica» sobre Moisis, mencionando todas as suas actividades políticas e sindicais durante as duas últimas décadas. Sob o título «O ESIEA (Sindicato dos Jornalistas) tem um judeu como tesoureiro», a difamação claramente racista continua com a seguinte declaração: «Fala fluentemente hebraico, adora Israel, apesar de se assumir (mas quem pode acreditar?) antissionista!... Nas Assembleias gerais do ESIEA, em vez de abordar os problemas dos jornalistas gregos, Moisis Litsis gosta de dissertar sobre o Holocausto judeu e a necessidade de condenar a Aurora Dourada»...

O agravamento permanente da crise económica e social permite que a extrema-direita demonize os estrangeiros (imigrantes, cidadãos que pedem asilo), utilizando o antissemitismo como forma de encontrar bodes expiatórios e de criar uma cortina de fumo em torno das verdadeiras causas dos problemas enfrentados pelo povo grego. A cura brutal de austeridade imposta pela Troika ao povo grego leva muitos gregos desorientados a enveredarem por novas vias que os iniciam nos sentimentos obscuros do fascismo.

No entanto, o objectivo assumido pela Aurora Dourada, organização racista, ultra-violenta e pogromista é a destruição de toda a organização sindical, política e cultural dos trabalhadores, o esmagamento de toda a resistência cidadã, a negação do direito à diferença e o extermínio – mesmo fisico – dos «diferentes» e mais fracos.

Esse retrocesso racista, retrógrado, autoritário e discriminatório é uma das consequências mais preocupantes do processo de destruição do Estado social, imposto pelos credores em nome do pagamento de uma dívida em grande parte ilegítima.

A rede do CADTM Internacional manifesta a sua solidariedade para com o povo grego em luta pela sua soberania, contra os planos de austeridade, pela afirmação dos direitos humanos e pelo não pagamento da dívida odiosa e assassina. Não podemos tolerar mais os assassínios, intimidações e provocações de um partido nazi que tem já assento no Parlamento grego.

Juntamo-nos a todas as vozes que pelo mundo se levantam contra o fascismo que se infiltra na Europa. A luta contra a austeridade em nome do pagamento de uma dívida assassina é inseparável da luta contra o fascismo na Europa.

Toda a nossa solidariedade para com Moisis Litsis, para com o CADTM grego e para com todas as forças de esquerda em luta contra as políticas de austeridade e o sistema que as gera.

CADTM international, 25-02-2013

 


 

* Moisis Litsis foi um dos principais animadores dos oito meses de luta exemplar dos trabalhadores do jornal Eleftherotypia. É também um dos fundadores do AIS (o Comité grego contra a dívida-CADTM http://www.contra-xreos.gr/ ) e um dos principais impulsionadores do Manifesto Antifascista Europeu (http://antifascismeuropa.org/manifiesto/fr ).

Fontes e referências: 
Secção: 
Editores: 
Temas: 
Subscribe to Syndicate